Envelhecer bem e de forma saudável é tarefa diária

Quais os segredos para a longevidade saudável? Quem orienta é o médico geriatra e gerontólogo Antônio Cláudio Neves, que participou, nesta segunda-feira (28/5), do 2º painel do XVI Encontro Nacional da ANFIP, realizado no Radisson Hotel, em Aracaju (SE). O debate foi coordenado pelo vice-presidente de Aposentadorias e Pensões, José Avelino da Silva Neto.

É fato que o envelhecimento começa desde o próprio nascimento. Mas é só a partir dos trinta anos que o funcionamento do corpo humano começa a perder reserva e resistência. “Temos que prestar atenção na curva da vida. Viver o máximo possível não perdendo autonomia e capacidade funcional. O processo de envelhecimento depende de tudo que se faz desde o início da vida”, explicou.

Segundo o médico, as tendências do envelhecimento são: coluna curvada, afinamento da pele, perda de musculatura, andar arrastando os pés e dores no corpo. “Temos que envelhecer de forma altiva e com qualidade”. Alimentar-se bem, praticar atividade física, exercitar a mente são algumas medidas importantes para garantir uma vida mais saudável. “Não se pode ter vergonha de ir à academia. O fator que mais acelera a perda de cálcio e de densidade óssea é a imobilidade [sedentarismo]. O esqueleto precisa ser fortalecido. Para viver mais, tem que se movimentar”, aconselhou o gerontólogo. Ele também indicou os principais músculos do corpo que devem ser fortalecidos: quadríceps, para as pernas terem mais resistência e evitar quedas, e coluna, evitando o desgaste dos discos e a curvatura ao longo do tempo.

O excesso de medicação, principalmente o uso indiscriminado de anti-inflamatório tem levado pessoas cada vez mais cedo à diálise. “No Brasil, onde se valoriza mais exames e medicação, precisamos repassar a sabedoria e o conhecimento dos mais velhos. É importante envelhecer com sabedoria e saber aconselhar, ser referência para os outros. Isso traz satisfação”, recomenda Antônio Neves, que também alerta para as doenças silenciosas. A partir dos 40 anos, os casos mais frequentes são: hipertensão, diabetes-dislipidemia, câncer, artrose, osteoporose, doença vascular, demência, depressão, obesidade.

“A hipertensão é a que mais mata. Tem pessoas que vivem com a doença por anos e não sabem. O que mais causa o pico hipertensivo é o sal. Ele é responsável por 50% da retenção de líquido no corpo”, afirma o médico. Para ele, o ideal é evitar o produto, mesmo em alimentos integrais.

Outros vilões da boa saúde são: salsicha, presunto e demais alimentos processados, e fritura. “Depois do cigarro, a fritura é o que mais acelera o processo de envelhecimento. É preciso ter muito cuidado ao consumir óleo. O melhor é utilizar óleo cru, como o óleo de coco, e em pouca quantidade”, sugeriu.

Para garantir qualidade de vida, acrescenta-se: ter um sono rente e satisfatório, que não seja à custa de remédio, evitar estresse, dar pausas para reflexões, ter momentos felizes e cuidar-se.

“O segredo da longevidade é comer a metade, andar o dobro e rir o triplo”, Proverbio Chinês.

A palestra completa pode ser acessada no Facebook da ANFIP – acesse aqui.

Fonte: ANFIP