Workshop Funpresp: População brasileira envelhece rapidamente

Dando sequência à programação do Workshop “A Previdência Complementar do Servidor Público Federal – Funpresp”, promovido ontem (28) em Brasília pela Fundação ANFIP de Estudos da Seguridade Social e ANFIP, o segundo painel do dia debateu “O porquê da instituição da previdência complementar no Brasil e resultados esperados”. A exposição foi feita pelo secretário de Políticas de Previdência Complementar, Jaime Mariz de Faria Junior, sob mediação da presidente da Fundação ANFIP, Aurora Maria Miranda Borges.

Mariz constatou que, nos últimos três anos, período em que foi discutida a criação da Funpresp, os melhores debates sempre contaram com o envolvimento da ANFIP. “O debate mais qualificado sempre foi na ANFIP, nem sempre com visões convergentes, mas com o bom debate”, completou.

Ele explicou que a mudança no modelo de previdência brasileiro foi necessária porque a população está envelhecendo rapidamente: em 1950, eram 2,6 milhões de idosos, número que hoje já está em 23,5 milhões e com tendência de crescimento. “Estamos envelhecendo rapidamente. Toda a visão do governo é para se preparar para este horizonte que vemos à nossa frente. Já falamos na quarta idade, com percentual de brasileiros acima de 90 anos crescendo muito rápido.”

O secretário constatou que, com esse cenário, é preciso alterar o futuro previdenciário brasileiro e, por isso, foi preciso mexer na previdência do servidor público. “O novo sistema (Funpresp) é maduro, com instrumentos fortes de governança e de fiscalização”, completou.

O workshop conta com patrocínio do Sinait, Sindifisco Nacional, Auditar, Anfa Sindical, Unacon Sindical e a Fenafisco. O apoio institucional é do Ministério da Previdência Social, INSS, Receita Federal do Brasil, Fonacate e Funpresp. Confira como foi o primeiro painel do dia.

Fonte: ANFIP

Open chat
Fale conosco!
X