Sinait lança portal sobre trabalho escravo contemporâneo em audiência na CDH

O Sinait lançou nesta segunda-feira, 21 de agosto, o Portal Trabalho Escravo Contemporâneo, que traz informações sobre o combate a este crime no Brasil. O lançamento, na Comissão de Direitos Humanos e Legislação Participativa do Senado – CDH, ocorreu durante a audiência pública que tratou do corte de 70% do orçamento da Inspeção do Trabalho e comprometeu, especialmente,  as operações  de combate ao trabalho escravo e infantil.

O portal traz notícias de resgates de trabalhadores, estatísticas e informações diversas sobre as ações das autoridades que atuam para erradicar o trabalho escravo, como os Auditores-Fiscais e Procuradores do Trabalho, além da Polícia Federal, entre outros.

Um mapa mostra os Estados onde há maior incidência dos casos de trabalho escravo, bem como uma linha do tempo com a história do combate ao trabalho escravo desde 1995 a 2017. Basta clicar na seta à direita que o internauta navegará, ano a ano, e conhecerá mais sobre as ações para erradicação do trabalho escravo no Brasil.

O portal é interativo, ou seja, uma plataforma possibilita aos visitantes da página apresentarem suas demandas sobre o que querem ver divulgado na ferramenta. “Nossa intenção é intensificar o debate sobre o tema, informar a sociedade e todos os agentes participantes para que cobrem do governo brasileiro a sua responsabilidade com a nossa nação e os trabalhadores para erradicação do trabalho escravo”, disse o presidente do Sinait, Carlos Silva.

Na ocasião, Carlos fez um apelo para que a CDH cobre do governo federal explicações sobre o desmantelamento da Fiscalização do Trabalho que, segundo ele, sofre ataques constantes com o intuito de enfraquecê-la.

Estatísticas

A escravidão contemporânea se apresenta de diversas formas, como por meio do tráfico de pessoas até a servidão por dívida e o trabalho doméstico forçado. Segundo pesquisas da ONG Walk Free Foundation, apenas no Brasil existem mais de 161 mil pessoas vivendo sob o regime do trabalho escravo. Nas duas últimas décadas os Auditores-Fiscais do Trabalho resgataram mais de 50 mil trabalhadores em situação de trabalho análogo ao de escravo.

Diretores do Sinait e Auditores-Fiscais do Trabalho do Distrito Federal e de Goiás participaram do lançamento.

O Portal do Trabalho Escravo Contemporâneo pode ser acessado pelo endereço eletrônico www.trabalhoescravo.com.br.

Fonte:  SINAIT

Open chat
Fale conosco!
X