Previ: ações de bancos impuslionam resultado em 2016

Nos primeiros três meses deste ano, os dois principais planos da Previ, o fundo de pensão dos funcionários do Banco do Brasil, apresentam retornos de até 7,98%.

O Plano 1, o maior plano de benefícios da entidade, registrou um retorno de 5,75% e o PREVI Futuro rentabilidade de 7,98%, ambos ante meta atuarial de 4,19% no período. Esses números se refletem no aumento dos ativos de investimentos dos dois planos: de R$ 145,9 bilhões para R$ 152,0 bilhões, com acréscimo de R$ 6,1 bilhões no Plano 1, e de R$ 6,6 bilhões para R$ 7,4 bilhões no PREVI Futuro, ampliação de cerca de R$ 800 milhões.

Segundo a Previ, a melhora se deve à carteira de renda variável . O resultado foi impulsionado pelo bom desempenho de alguns papéis, em especial do setor de instituições financeiras, com destaque para as ações ordinárias e preferenciais do Bradesco, que apresentaram valorização de 47,09% e 40,81%, respectivamente, e das ações ordinárias do Banco do Brasil, que tiveram crescimento de 35,46% no mesmo período.

No Plano 1, houve valorização de R$ 3,2 bilhões dos ativos de renda variável (sem contar com empresas avaliadas a valor econômico e que representam cerca de 48% da carteira de renda variável do Plano), com rentabilidade de 14,7% nos últimos três meses de 2016. O segmento de renda variável do Plano representou 53,5% do crescimento do total de R$ 6,1 bilhões dos ativos de investimento do maior plano da Entidade, que passou de R$ 145,9 bilhões para R$ 152,0 bilhões no período. Com o resultado do primeiro trimestre de 2016, o Plano 1 da Previ reduziu seu déficit em R$ 1,6 bilhão.

Fonte: Portal G1

Open chat
Fale conosco!
X