Presidente da ANFIP abre oficialmente a IV Convenção Nacional Extraordinária

A presidente da ANFIP, Margarida Lopes de Araújo, declarou na manhã desta sexta-feira (19) a abertura oficial da IV Convenção Nacional Extraordinária (CNE), que acontece em Brasília. Integraram ainda a mesa de abertura o vice-coordenador do Conselho de Representantes, Luiz Bezerra Mendes, representando Ademar Borges; o coordenador do Conselho Fiscal, Carlos Roberto Bispo; a presidente da Fundação ANFIP, Aurora Maria Miranda Borges, e a presidente da AFIP-DF (Estadual no DF), Léa Pereira de Mattos.

Antes do início dos pronunciamentos, Margarida Lopes solicitou um minuto de silêncio em homenagem aos ex-presidentes da ANFIP Gilberto Nobre Cavalcante, falecido nesta quinta-feira (18), e Silvio José Andriotti, falecido em dezembro de 2013, que participaram ativamente da história de lutas da ANFIP.

A presidente da ANFIP destacou os principais pontos que serão discutidos na Convenção, entre eles a realização das Convenções Nacionais em Brasília, deixando somente os Encontros Nacionais para acontecerem nos estados. “A Convenção é um momento de estudo e queremos que seja feita inserida no cenário político de Brasília e com economia de recursos”, justificou. A segunda proposta visa a trazer mais associados para a Entidade. Para isso, conforme explicou, serão criados incentivos, como valores diferenciados pelo período de seis meses. “Nossa intenção é trazer novos associados e trazer aqueles que já foram associados e não são mais”, disse. A terceira proposta é o aumento de convencionais. “Queremos que mais colegas venham participar e discutir os nossos destinos”, argumentou, lembrando ainda que mais convencionais eleitos proporcionará mais chapas inscritas a partir das próximas eleições. Outra proposta interessante é o mandato de três anos. Para Margarida Lopes, o aumento do período, além de acompanhar o que já acontece em diversas outras entidades, proporcionará o melhor desenvolvimento dos trabalhos. As demais propostas, destacou a presidente, ajustarão o Estatuto para torná-lo mais apropriado para o desenvolvimento das atividades. “Contamos com a colaboração e compreensão de todos. A ANFIP precisa estar mais aparelhada para lutar pelos nossos interesses”, finalizou.

Segundo Léa Pereira de Matos, anfitriã do CNE, a ANFIP DF luta há 47 anos em parceria com a Entidade Nacional por um Brasil melhor e mais solidário. “Além do congraçamento entre todos, a Convenção é o palco onde serão discutidas as propostas de alteração estatutária”, disse, demonstrando confiança de que o trabalho atingirá o objetivo maior de promover o bem comum e o fortalecimento da democracia.

Luiz Mendes Bezerra, que representa o coordenador da Mesa do Conselho de Representantes, Ademar Borges, que, por motivos de saúde, não pode comparecer, acredita no sucesso do trabalho, que acontecerá de forma solidária. “A ANFIP é sábia e o resultado é promissor. Daqui sairão decisões que beneficiarão a carreira e em particular a Entidade”, frisou.

Já o coordenador do Conselho Fiscal, Carlos Roberto Bispo, destacou a responsabilidade de todos os convencionais de trabalhar os rumos da Entidade que, ao longo de anos, representa muito bem os Auditores-Fiscais. “Neste momento, nós partimos para uma nova etapa. Temos que nos renovar para o bem”, declarou.

A presidente da Fundação ANFP de Estudos da Seguridade Social, Aurora Maria Miranda Borges, também deu as boas-vindas a todos. “Que a gente possa ter a luz necessária para resolvermos as questões da pauta com muito discernimento, precisão e imparcialidade para nosso bem maior”, afirmou.

Fonte: ANFIP

Open chat
Fale conosco!
X