Moradores de favelas do Rio terão seguro de vida de graça

Projeto-piloto começa pela Cidade de Deus, Rocinha e Complexo do Alemão no fim do mês

Rio – Apólices de seguro por morte acidental ou para invalidez permanente por acidente de graça para os moradores das favelas do Rio. A ousada proposta é da Central Única das Favelas (Cufa), cujo projeto-piloto — o ‘Comunidade Segura’ — será lançado no final do mês nas comunidades da Cidade de Deus, Rocinha e Complexo do Alemão.

Morador do morro Dona Marta, Edson Barbosa dos Santos comprou seguro combinado: residencial e funeral | Foto: Paulo Alvadia / Agência O Dia

Inicialmente serão beneficiadas 50 mil pessoas em nove comunidades, de seis cidades brasileiras, entre elas o Rio. A Federal Seguros vai patrocinar o projeto-piloto.

A apólice de R$ 12 mil e com validade por 12 meses, será dividida: R$ 5 mil por morte acidental; R$ 5 mil por invalidez permanente por acidente; R$ 1 mil para auxílio alimentação à família na falta do mantenedor; e R$ 1 mil para auxílio funeral (morte em qualquer causa).

“É um projeto de grande apelo social, importante para as pessoas que vivem nas comunidades. Creio que rapidamente novos patrocinadores se interessarão pelo projeto e, assim, poderemos atingir mais de um milhão de beneficiários”, diz o secretário-geral da Cufa, Celso Athaide.

Em outubro, o piloto chegará as comunidades de Paraisópolis e Capão Redondo (São Paulo), na Restinga (Porto Alegre), em Lagamar (Fortaleza), em Ceilândia (Brasília) e também em Osmar Cabral (Mato Grosso).

“É um projeto social maravilhoso. O custo é mínimo, R$6 por ano para seguradora, e o segurado não paga nada”, afirma Gustavo Capanema, diretor comercial da Federal Seguros. Ele diz não acreditar em prejuízos para a empresa. “O seguro é um risco. Tem apólice que dá lucro, outras prejuízos. O mercado ganha na média”, explica.

Para obter a apólice, o interessado se inscreverá num comércio credenciado. “Local onde ele faz suas compras e que os novos patrocinadores poderão aumentar a venda dos seus produtos”, estima Athaide.

Empresas já têm seguros populares

A venda de microsseguros em favelas é a grande aposta do mercado segurador. As empresas apostam em cerca de 60 milhões de novos consumidores.

O projeto ‘Estou Seguro’, da Confederação Nacional das Seguradoras, já oferece produtos a preços populares no morro Dona Marta. O porteiro Edson Barbosa dos Santos comprou um seguro residencial e funeral. “A minha tia não gastou nenhum centavo com o enterro do marido, sem burocracia nenhuma. Resolvi fazer também”, afirmou.

Com a regulamentação dos microsseguros, as seguradoras oferecerão produtos em mais de 20 categorias com mensalidades de R$ 2,5 a R$ 25. O educador Diogo Guedes, morador do Borel, disse que, como os preços ficarão bastante acessíveis, já pensa em fazer um seguro.

 Fonte:   O Dia

Open chat
Fale conosco!
X