Migalhas nº 4.268

Filme de terror

Jornalista conhecido em Brasília, Renato Riella conta em seu blog como foi o filme de terror que envolveu o ministério do Trabalho. Com pequenas edições nossas, que não alteram o enredo, veja o que ele conta: “Tudo começa com o deputado Federal Ronaldo Nogueira (PTB-RS), que um dia foi nomeado pelo presidente Temer para ser ministro do Trabalho. Este aterrorizante Ronaldo, sabendo que no dia seguinte iria estourar um grande escândalo no setor de tecnologia de seu ministério, renunciou repentinamente. Corre que lá vem a polícia! Ninguém entendeu. Pensou-se até que tinha a ver com a portaria criminosa para proteger os bandidos que cometem “trabalho escravo”. Mas a portaria caiu e o ministro ia ficando. Até que renunciou. Temer, insistente no erro, decidiu nomear outro deputado do PTB (do Maranhão). Escolheu um desconhecido chamado Pedro Fernandes. Pelo visto, a única pessoa que conhecia Pedro Fernandes era o eterno dono do PMDB, o ex-presidente Sarney, inimigo do desprezível deputado. Sarney exigiu que Temer não nomeasse o maranhense, que acabou dançando. Insistiu-se com o PTB, mas alguns nomes eram indigeríveis. Chamou-se o dono do partido, o espalhafatoso Roberto Jefferson para uma conversinha. O interesse do encontro, todos sabemos, era garantir os votos do PTB para a reforma da Previdência. Conversa vai, conversa cai, eis que decidiram que seria nomeada uma ministra do Trabalho do PTB. E quem? E quem? A filha do Jefferson, a deputada Federal Cristiane (PTB-RJ), para o importante cargo. Para não fugir do roteiro de filme de terror, a tal parlamentar está citada na delação da Odebrecht, mas permanece protegida pelo foro privilegiado. Não dá para chiar. Cristiane Jefferson assumirá e vai mesmo abrir vaga para um deputado suplente. Mas o elenco do filme de terror não acaba. Sabem quem é o suplente da nova ministra? Chama-se Nelson Nahim, político do interior do Rio, que recentemente esteve preso durante meses, acusado de participar de uma rede de exploração sexual de crianças e adolescentes. Pensaram que o filme de terror acaba aqui? Tem sempre um item a mais. Incrível é que Nelson Nahim, embora com este sobrenome, é irmão legítimo de outro preso recentemente, o Garotinho, que foi governador do RJ. E assim segue. Roberto Jefferson chorou publicamente quando anunciou que Cristiane seria a ministra do Trabalho… lágrimas de Frankstein.”

Fonte:  Migalhas

Open chat
Fale conosco!
Powered by
X