MBL finalmente será investigado?

O sinistro Movimento Brasil Livre (MBL) até hoje nunca prestou contas sobre a origem dos recursos financeiros usados na cruzada golpista pelo impeachment de Dilma Rousseff

Por Altamiro Borges – de São Paulo:

A falta absoluta de transparência gerou várias suspeitas, inclusive a de que a grana provinha de fundações empresariais dos EUA interessadas na desestabilização política do país e nas suas riquezas, como o pré-sal.

MBL e Cunha na Marcha Contra a Corrupçao: Cunha foi condenado pela Lava Jato a 15 anos de prisão por corrupção passiva, entre outros crimes

Com a chegada ao poder da quadrilha de Michel Temer, a seita fascista deixou de lado o tema da corrupção, que serviu apenas para enganar os “coxinhas”, e passou a defender bandeiras ultraconservadoras nos costumes e ultraliberais na economia. Além de atacar exposições de artes e artistas, a milícia do MBL virou garota-propaganda das contrarreformas trabalhista e previdenciária.

Agora, porém, talvez o grupelho seja forçado a revelar suas fontes de sustentação. Na segunda-feira, a Associação Nacional dos Auditores Fiscais da Receita (Anfip); e a Fenafisco (Federação Nacional do Fisco) ingressaram com ação junto à Procuradoria Geral da República (PGR); para que sejam apuradas as possíveis conexões entre a propaganda oficial do governo pela aprovação da reforma da Previdência; que já foi considerada “mentirosa” por órgãos da Justiça; e os vídeos viralizados pelo MBL.

Na avaliação das entidades, “a linguagem utilizada pelas divulgações explicita a relação de apoio; o que leva à necessidade de se investigar se o governo, direta ou indiretamente, financiou com recursos públicos o MBL”.

– O que se pretende investigar é o uso de recursos públicos para financiar por via obliqua propaganda do governo e a relação existente entre o Movimento e autoridades governamentais sobre todas as formas – argumenta a ação jurídica.

“Neste contexto, em que as estratégias de comunicação do governo ultrapassam os meios convencionais e passam a utilizar ações veladas, ofensivas não só a servidores públicos.

ANFIP

Mas a pessoas específicas, a ANFIP e a Fenafisco reiteram a importância de as instituições promotoras da Justiça; em defesa do bem da sociedade e do Estado Democrático de Direito, atuarem de maneira ampla; e profunda em consideração ao conjunto da sociedade”. Será que o usurpador Michel Temer andou distribuído propina aos fascistas mirins do MBL?

Altamiro Borges, é jornalista.

Fonte:  Correio do Brasil

Open chat
Fale conosco!
X