Governo adia reunião com centrais para mostrar reforma da Previdência

  • Marcos Santos/USP Imagens
    Fotos Públicas. Foto: Marcos Santos / USP Imagens. Medo de perder emprego aumenta 5,4%, mostra pesquisa da CNI. Carteira de trabalho, desemprego, emprego
    Carteira de trabalho

    O Palácio do Planalto desmarcou nesta segunda-feira (10) a reunião com as centrais sindicais para apresentar a proposta de reforma da Previdência. O encontro estava marcado para terça-feira (11).

    Com a reunião adiada, o envio do texto que muda as regras de aposentadoria deve ficar só para depois do segundo turno das eleições, que ocorrerá em 30 de outubro.

    A ligação para desmarcar a reunião foi feita pelo ministro Geddel Vieira Lima (Secretaria de Governo). Segundo a Folha apurou, um argumento da equipe de Temer é que falta incluir pontos relacionados a estados e municípios na proposta.

    Geddel afirmou às centrais que o governo federal quer conversar com os governadores a respeito do aumento da alíquota de 11% para 14% na contribuição dos servidores públicos.

    Beto Barata – 30.jun.2016/Presidência/Xinhua

    Michel Temer participa de reunião com representantes da CACB (Confederação das Associações Comerciais do Brasil), no Palácio do Planalto, em Brasília

    Aliado do presidente Michel Temer, o presidente da Força Sindical, deputado Paulo Pereira da Silva (SD-SP), declarou que o Palácio do Planalto alegou estar com todos os esforços voltados à aprovação da PEC que limita o crescimento dos gastos públicos —chamada de PEC do Teto. Essa proposta de alteração na Constituição pode ser votada no plenário da Câmara ainda nesta segunda.

    “Geddel disse que estavam empenhados na votação da PEC do teto e não deu tempo de cuidar da Previdência”, afirmou o presidente da Força Sindical.

    Contrário a alterações nas regras de aposentadoria, ele comemorou. “É melhor. Vamos ganhar tempo para discutir melhor”, disse.

    Na semana passada, o presidente Michel Temer teve reunião com a equipe técnica que prepara a proposta de emenda à Constituição que vai reformar as regras da Previdência. O Palácio do Planalto tem deixado claro que Temer só quer enviar o texto ao Congresso Nacional depois de conversas com representantes de centrais sindicais, de entidades patronais, além dos parlamentares da base aliada.

    Com o cancelamento da reunião desta terça, a nova data para encontro com as centrais sindicais deve ficar para o fim do mês de outubro, quando Temer retornará de viagem à Índia e ao Japão. O adiamento do envio da proposta para depois da última etapa da eleição é defendida pela base aliada, que alega que o tema pode atrapalhar na corrida eleitoral.

Fonte:  Folha de São Paulo

Open chat
Fale conosco!
X