Fundação ANFIP e Previc assinam protocolo de cooperação técnica

Os presidentes da ANFIP, Álvaro Sólon de França, e da Fundação ANFIP, Floriano Martins de Sá Neto, e o diretor-superintendente da Previc, José Maria Rabelo, participaram hoje (18) da assinatura de acordo de cooperação técnica entre a Fundação e a Superintendência Nacional de Previdência Complementar. Também estiveram na solenidade a suplente da Diretoria Executiva da Fundação ANFIP, Neiva Renck Maciel, e integrantes da Diretoria da Previc.

O acordo permite a realização em conjunto de estudos técnicos, seminários, publicações e concursos de monografia, entre outras iniciativas que sejam de comum acordo entre a Fundação e a Previc. O presidente da ANFIP avaliou que o documento é mais uma demonstração do viés diferenciado da ANFIP e de sua Fundação. “A ANFIP é, de fato, diferente de outras entidades porque tem uma visão holística e não está preocupada apenas com questões corporativas, mas também com a construção de uma sociedade justa e solidária, com instituições fortalecidas”, observou Álvaro Sólon.

Já Floriano Neto constatou que o acordo com a Previc vai ao encontro dos objetivos da Fundação. “Com a Fundação, a ANFIP abre o leque para muitos outros temas caros à sociedade, como discussões nas áreas de gestão, de cultura e de recursos humanos.” Ele ainda previu que o protocolo vai permitir a atuação em conjunto entre Fundação e Previc em diversos projetos.

O superintendente da Previc também comemorou o acordo técnico. “É um privilégio sacramentarmos essa parceria, já que desenvolvemos outras iniciativas em conjunto com a Fundação ANFIP. Agora, oficializamos isso em um termo que permite uma ótima parceria”, constatou. José Maria Rabelo ainda reforçou a importância do trabalho dos Auditores-Fiscais para a sociedade brasileira, especialmente por meio da atuação na Previc. “O trabalho dos Auditores-Fiscais representa uma segurança para nós”, concluiu.

Por fim, o presidente da ANFIP enfatizou a importância da Previc para o conjunto da sociedade, especialmente com a criação do Funpresp, a previdência complementar do servidor público. “É preciso que a Previc tenha todas as condições para fiscalizar os recursos investidos pelos brasileiros, especialmente no cenário atual, em que um espirro em uma parte do mundo pode virar pneumonia em outro lugar. A sociedade precisa de tranquilidade e a Previc necessita de recursos, logística e Auditores-Fiscais para exercer seu trabalho”, finalizou Álvaro Sólon de França.

Fonte: Agafisp

Open chat
Fale conosco!
Powered by
X