Doria multa MBL após grupo colar cartazes contra ele na Paulista

Movimento passou a chamar o ex-aliado de ‘João Desempregador’ após ele mudar regra para aplicativos de transporte; autuação se baseou na Lei Cidade Limpa

O Movimento Brasil Livre (MBL) foi multado pela Prefeitura de São Paulo após colar cartazes pela Avenida Paulista com a foto do prefeito João Doria (PSDB) e a expressão “João Desempregador”, uma ironia ao slogan “João Trabalhador” utilizado pelo tucano.

Vídeo revelado por VEJA mostra os membros do movimento pouco depois de distribuir os “lambe-lambes”, como são conhecidos esses cartazes, pela via. Na mensagem, os integrantes do grupo criticam Doria pela nova resolução para o funcionamento dos aplicativos de transporte e o acusam de provocar o desemprego dos motoristas.

“Prefeito, é uma vergonha o que você está fazendo. São 50.000 pessoas que vão passar fome pela sua culpa. Você está sendo mais autoritário que a gestão do PT. O PT, que você tanto critica… você está sendo mais autoritário que o Fernando Haddad. Por favor, prefeito, vamos ter vergonha na cara”, diz na gravação Renato Battista, coordenador do MBL em São Paulo.

O valor da multa não foi divulgado. Colar cartazes em via pública sem autorização fere a Lei Cidade Limpa. Em nota, a Prefeitura Regional da Sé, responsável pela região, afirma que que as equipes de limpeza já estão retirando os adesivos.

Procurado, Doria disse que não comentará as críticas do MBL. A relação entre o prefeito e o grupo se deteriorou nos últimos meses, depois de uma lua-de-mel que durou a campanha eleitoral e os primeiros meses de gestão.

Coordenador do MBL, o vereador Fernando Holiday (DEM) tem feito críticas fortes ao prefeito desde quarta-feira, quando ironizou o lema da gestão, “Trabalho, trabalho e trabalho”, substituído por “Desemprego, desemprego e desemprego” em uma postagem. Doria chegou a ligar para Holiday nesta quinta para acalmar os ânimos, mas não obteve sucesso.

Resolução

A partir deste mês, motoristas que contratam corridas por meio de aplicativos passaram a ser proibidos de trafegar com carros fabricados há mais de cinco anos (sete, caso o cadastro tenha sido feito antes de julho de 2017) e obrigados a emplacar os veículos na cidade de São Paulo.

Fonte: Veja

Open chat
Fale conosco!
X