Dívida bruta do país vai a 70,5% do PIB, pior resultado da história

BRASÍLIA – Sem recursos para pagar os juros da dívida pública, o Banco Central mostrou que a dívida bruta do país chegou a R$ 4,41 trilhões em novembro, ou 70,5% do PIB. Como o governo não está pagando os juros, o déficit nominal (que contabiliza o rombo das contas mais a conta de juros) chegou a R$ 80,42 bilhões no mês passado. O resultado para a dívida bruta é o pior, como percentual do PIB, desde o início da série histórica, iniciada em dezembro de 2006.

Por sua vez, as contas públicas brasileiras, que em outubro registraram superávit em outubro, voltaram para o vermelho e apresentaram, em novembro, déficit de R$ 39,141 bilhões, pior resultado para o mês desde que a série histórica começou a ser medida pelo Banco Central (BC), em 2001. No acumulado do ano, o déficit é de R$ 85,05 bilhões ou 1,48% do Produto Interno Bruto (PIB). A queda acentuada na arrecadação deve fazer com o que o governo apresente em 2016 o terceiro rombo primário seguido.

O resultado ruim foi puxado pelo desempenho do governo federal, que teve um rombo de R$ 39,8 bilhões. Os estados e municípios tiveram, em novembro, resultado positivo de R$ 421 milhões. Já as estatais tiveram déficit de R$ 79 milhões. No ano, governos regionais acumulam um resultado positivo de R$ 10,7 bilhões, e as estatais tiveram um desempenho negativo acumulado em R$ 561 milhões.

O rombo apresentado em novembro para o setor público consolidado é o dobro do divulgado para este mesmo mês de 2015. No ano passado, o resultado havia sido negativo em R$ 19,56 bilhões e marcou, naquela época, o pior resultado da série, o que foi superado em 2016.

Fonte: Extra

Open chat
Fale conosco!
X