APRENDIZAGEM Jovens Aprendizes das Olimpíadas falam sobre oportunidades e expectativas para o futuro

Depoimentos foram registrados em vídeo pelo Ministério do Trabalho

Assista ao Vídeo  Jovem aprendiz

O Ministério do Trabalho foi até o Rio de Janeiro conversar com os jovens que irão trabalhar na modalidade Jovem Aprendiz do Desporto (Jade) nas Olimpíadas e Paralimpíadas Rio 2016. A ideia foi descobrir como os alunos estão encarando das aulas teóricas que antecedem a competição, as expectativas em relação aos jogos e o que eles esperam para o futuro. O resultado foi um conjunto de depoimentos surpreendentes e emocionantes sobre oportunidades e aprendizagem, como resumiu bem Ruan Silva, de 19 anos: “Essas Olimpíadas não são uma oportunidade só para mim, mas para o Rio de Janeiro. Vão deixar um legado maravilhoso para a cidade, e um legado para mim, profissionalmente e pessoalmente”.

As impressões de Ruan e de vários outros colegas estão em vídeos produzidos pelo Ministério. Eles falam sobre as aulas, como estão conciliando o curso e a faculdade e de que maneira pretendem aproveitar o aprendizado no futuro. Gabriela Deneci, 20, está gostando tanto do novo universo descoberto por meio do Jade que projeta planos: “Pretendo um dia ter uma assessoria esportiva. Para mim essa oportunidade está sendo espetacular”.

Sobre o projeto – O Jade selecionou 455 jovens para trabalharem como aprendizes nas Olimpíadas e Paralimpíadas Rio 2016. Até o final do ano, eles terão 400 horas de aulas teóricas, no turno inverso ao da escola, divididas em duas etapas – a primeira até 30 de junho e a segunda depois dos jogos, até 21 de dezembro. Durante o Rio 2016, eles trabalharão como auxiliares nas provas esportivas e eventos. Todos foram contratados e estão recebendo salário que tem como base o salário mínimo, mas proporcional às horas em que participam do programa, seja estudando ou trabalhando.

Fonte: INSS

Open chat
Fale conosco!
X