Alimentos devem aliviar inflação em junho

ÍPC-S desacelerou em maio e fechou em 0,52%. Previsão para mês que vem é de 0,10%

 Após uma alta expressiva nos primeiros meses do ano, os alimentos estão tendo uma desaceleração nos preços e dando um alívio ao bolso do consumidor.

A projeção da Fundação Getúlio Vargas (FGV) é que Índice de Preços ao consumidor Semanal (IPC-S) de junho fique em torno de 0,10%, impulsionada pelos preços favoráveis deste grupo de produtos. Em maio, o índice foi de 0,52%, segundo o informe divulgado ontem pela FGV. Com o resultado, o indicador acumula alta de 3,85%, no ano e, 6,57%, nos últimos 12 meses. A maior contribuição para o índice veio dos alimentos, que tiveram queda na alta de preços, de 0,81% para 0,45%.

A aposentada Geni de Souza comemora recuo no preço de alimentos Foto: Fernando Souza / Agência O Dia

O preço das hortaliças e legumes recuou 1,42%. A movimentação já foi sentida no bolso de consumidores como a aposentada Geni de Souza, de 77 anos. “Os preços estavam aumentando muito, mas hoje vi uma queda, principalmente no preço do tomate que estava R$ 5,99 e agora é R$ 3,99 o quilo”. Apesar disso, ela afirma que a redução ainda não foi suficiente para um alívio forte no orçamento doméstico. “Os preços ainda estão muito altos. Tenho que procurar promoção em vários mercados para conseguir comprar tudo no que preciso”.

Além da alimentação, cinco grupos medidos pelo índice também tiveram desaceleração de preços em maio: saúde e cuidados pessoais (de 1,08% para 0,76%), transportes (de 0,42% para 0,27%), habitação (de 0,74% para 0,68%), vestuário (de 0,45% para 0,29%) e comunicação (de 0,18% para 0,02%).

Hotéis puxam preços

Enquanto a maioria dos grupos que compõem o IPC-S teve desaceleração de preços em maio, o item de educação, leitura e recreação teve alta de 0,78%. De acordo com a FGV, um dos preços que mais subiu nesta categoria foi o dos hotéis, com alta de 1,34% no mês passado.

O grupo de despesas diversas também sofreu alta maior em maio, passando de 0,63 na terceira semana de maio para 0,78%. Dentro deste item, pesou o aumento dos jogos lotéricos, que foi de 7,29% em maio.

Fonte: O Dia

Open chat
Fale conosco!
X