Protesto visa chamar atenção da população nas reformas realizada no governo brasileiro. Outras manifestações acontecerão até o fim do mês

Servidores Federais querem alertar a população sobre medidas ofertadas pelo Governo Temer (Foto: Reprodução)

A Frente dos Servidores Federais de Goiás (FSF-GO) deu início, na manhã desta sexta-feira (17), a uma ação em protesto contra medidas defendidas pelo governo federal, como as reformas trabalhista e da previdência. A manifestação acontece com a entrega de panfletos para motoristas que passam pelo Posto da Polícia Federal (PRF) da BR-153, em Hidrolândia, e deve durar o dia todo.

Segundo o presidente do Sindicato do Docentes da Universidade Federal de Goiás (Adufg), Flávio Alves, o ato tem como objetivo chamar atenção da população contra os pacotes de diversas reformas que o governo está implantando e que afeta, diretamente, os servidores públicos federais. “O governo tenta enxugar contas e reduzir custos de forma equivocada e acaba retirando direitos dos servidores. Além disso, vários tipos de investimentos importantes estão deixando de ser feito por causa destas reformas”, conta Flávio.

O sindicalista destaca que alguns pontos questionados nas reformas propostas são uma medida provisória que visa a congelar aumentos de salários dos servidores, o aumento da contribuição  previdenciária de 11% para 14%, o programa de demissão voluntária e a reforma trabalhista, que entrou em vigor no último sábado (11). “Nós da área da educação não temos um valor de aumento de salário acordado para o ano que vem. O que tínhamos de certeza sobre um possível aumento era a Parcela de Reestruturação de Carreira, mas até ela está ameaçada diante disto”, ressalta o diretor.

Flávio também conta que a UFG está com graves problemas administrativos causados pela retirada de investimentos no governo Temer. Certos serviços essenciais na universidade estariam comprometidos. “Em relação a projetos de ciência, tivemos o declínio de 80% de valores repassados pelo governo federal. As empresas terceirizadas também estão com os pagamentos atrasados. Vamos fechar este ano com uma dívida de R$ 20 milhões”, relata o presidente.

Na próxima quarta-feira (22) todos as categorias de servidores públicos federais de todo o país se reunirão em Brasília e tentarão o apoio dos deputados federais para barras novas medidas ofertadas pelo presidente da República. Além disso, dia 28 de novembro haverá um paralisação nacional.

Fonte:  www.emaisgoias.com.br