Michel Temer durante reunião com representantes de centrais sindicais, no Palácio do Planalto

O Brasil se tornará um país envelhecido e pobre nas próximas décadas se não avançar com urgência em políticas para reformar seu regime de aposentadorias e melhorar a qualidade da educação.

O tempo que ele tem para fazer isso se tornou curto, porque se aproxima do fim o impulso que a demografia dá ao crescimento enquanto o grupo de pessoas em idade para trabalhar cresce a um ritmo mais rápido do que o número de crianças e idosos.

Conhecida como bônus demográfico, essa fase começou na década de 70 e terminará antes de 2030, dizem especialistas. Nesse período, pessoas nascidas na explosão populacional dos anos 50 e 60 chegaram ao mercado de trabalho, e a taxa de fecundidade do país começou a declinar.

TRANSIÇÃO DEMOGRÁFICA BRASILEIRA

População por sexo e idade em diferentes anos

O primeiro efeito positivo disso foi ter mais gente capaz de gerar renda para dar assistência a crianças e idosos.

No período de 1980 e 2010, a população que tem entre 15 e 59 anos saltou de 56% para 65% do total no Brasil.

O aumento da força de trabalho também leva à expansão da poupança e da capacidade de investimento, elevando o potencial de crescimento da economia e da renda.

O problema no caso do Brasil é que ele não conseguiu aproveitar essa fase para criar as condições necessárias para equilibrar as despesas com a Previdência, a fatia dos gastos do governo que mais cresce.

Isso reduz a margem de manobra do atual governo para reformar a Previdência. O presidente Michel Temer promete apresentar seu projeto ao Congresso neste mês.

TAXA DE FECUNDIDADE NO BRASIL DESPENCOU RAPIDAMENTE

Número médio de filhos por mulher em idade fértil

“O bônus demográfico pode se tornar uma espécie de energia desperdiçada”, diz o economista Paulo Tafner, especializado em Previdência.

Para que isso não ocorra, segundo os especialistas, será necessário aumentar a qualificação dos trabalhadores e tomar medidas para frear os gastos da Previdência.

RENDA X FECUNDIDADE

País de renda média, Brasil tem taxa de fecundidade de nação desenvolvida

Fonte: Folha de S. Paulo