Jefferson Rudy/Agência Senado

O senador Paulo Paim (PT-RS) disse nesta quarta-feira (21) que os maiores devedores da Previdência Social reconhecem os débitos e ao mesmo tempo negam ter intenção de pagar, devido a pendências judiciais.

Segundo Paim, os procuradores da Fazenda Nacional ouvidos pela CPI da Previdência afirmaram que boa parte do dinheiro que não é pago ao INSS vira doação eleitoral para candidatos. Por isso, muitos deles, depois de eleitos, não tocam no assunto. Outro motivo que prejudica a arrecadação é o elevado número de refinanciamentos das dívidas previdenciárias.

Para o senador, o empresário honesto é prejudicado, enquanto aqueles que insistem em não pagar as contribuições dos empregados se beneficiam com os constantes Refis. Paim afirmou ainda que a Previdência pode virar modelo para o mundo, bastando para isso que os grandes devedores paguem suas obrigações.

— Se, daqui para frente, eles ficarem sabendo que não vai ter mais colher de chá e que vão ter que pagar, vai aumentar de imediato eu diria mais de R$ 100 bi no caixa da Previdência. De imediato, R$ 100 bi, assim, sem fazer nenhuma força. Mas está uma barbada, o cara não paga, empurra com a barriga e depois vem o governo e anistia. Em outras palavras, é isso que acontece — disse o senador

Fonte:http://www12.senado.leg.br