Foram 10 votos contrários e nove favoráveis ao projeto. Parlamentares comemoram aos gritos de “Fora Temer”

De forma surpreendente, o relatório do projeto de “reforma” trabalhista (PLC 38) foi rejeitado no início da da tarde de hoje (20) na Comissão de Assuntos Sociais (CAS) do Senado. Foram 10 votos contrários e nove favoráveis. A oposição comemorou com gritos de “Fora Temer”. O resultado contraria os planos do governo, que contava com a aprovação hoje e na Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ) – o líder do governo, Romero Jucá (PMDB-RR), previa que estaria pronto para ir a plenário a partir do próximo dia 28.

Mais uma vez, o relator, Ricardo Ferraço (PSDB-ES), ignorou mais de 200 emendas, número próximo ao da CAE, e manteve na íntegra o texto aprovado na Câmara, ainda como PL 6.787. Fez apenas “recomendações” de vetos presidenciais, no que ele chama de “acordo institucional”, mas que muitos de seus pares têm desconfiança quanto ao cumprimento. Sindicalistas e parlamentares tentam negociar com o governo a edição de uma medida provisória com pontos específicos.
Na CCJ, o relator seria o próprio Jucá, que já pretendia ler o parecer amanhã. O governo esperava aprovar o projeto até o início de julho, enquanto a oposição tenta retardar a votação.
Na semana passada, quatro senadores da oposição apresentaram votos em separado. Eles protestaram contra o fato de, ao não incluir nenhum emenda, o Senado abrir mão do papel de Casa revisora. “Não pode vir um projeto que altera a CLT em 117 artigos aqui para a Casa e a gente só carimbar, sabendo que a Câmara cometeu absurdos”, criticou Paulo Paim (PT-RS).
Fonte:http://sinteregionalmossoro.blogspot.com.br