Funções da pasta serão divididas entre Justiça, Economia e Cidadania

O futuro ministro-chefe da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, confirmou na manhã desta segunda-feira, 3, o fim do Ministério do Trabalho no governo de Jair Bolsonaro. Em entrevista à Rádio Gaúcha, ele afirmou que as funções da pasta serão divididas entre os ministérios da Justiça, da Economia e da Cidadania.

Ministério do Trabalho será dividido em três outros ministérios (Valter Campanato/Agência Brasil)

“O Ministério do Trabalho ficará em parte com o Sergio Moro, na parte da concessão do registro sindical, no Ministério de Justiça e Segurança. A outra parte, no caso de políticas, emprego, ficará parte no Ministério da Economia, e outra parte no Ministério da Cidadania”, afirmou Onyx Lorenzoni.

O futuro chefe da Casa Civil também disse que o governo terá 22 ministérios a partir de 2019, sete a mais do que os 15 prometidos por Bolsonaro durante a campanha presidencial.

“Serão 20 ministérios funcionais e dois eventuais”, explicou Onyx. Segundo ele, o Banco Central e a Advocacia-Geral da União, que já têm indicados, também perderão o status de ministério. A mudança depende da aprovação de uma Proposta de Emenda à Constituição.

 

Fonte:  Veja