Lauro Jardim anota, no O Globo, que nas contas de Michel Temer, que, ninguém nega, conhece a alma da Câmara como poucos, a reforma da Previdência tem hoje 240 votos. Com a mexida no Ministério, acha que dá para subir a 280.

Segundo Lauro Jardim, Temer tem dito reservadamente que, para alcançar os necessários 308 votos, “vai depender da pressão dos empresários e até dos candidatos a presidente que não querem ter que fazer eles mesmos uma reforma”.

Nas mesmas conversas, analisa o jornalista, Temer explica que, se no dia da votação tiver menos de 300 votos garantidos, retira o projeto de pauta. Ou seja, não quer jogar para perder.

Fonte: Fabio Campana