O Impostômetro da Associação Comercial de São Paulo (ACSP) alcançou nesta terça-feira(19), às 21 horas, R$ 700 bilhões em impostos federais, estaduais e municipais pagos pelos brasileiros desde 1º de janeiro deste ano. O momento da “virada” foi acompanhado em um painel instalado na rua Boa Vista, 51, Centro, São Paulo-SP, e também pela internet.

O presidente da Associação Comercial de São Paulo (ACSP) e da Federação das Associações Comerciais do Estado de São Paulo (Facesp), Rogério Amato, criticou novamente a alta carga tributária. “Apesar de a crise mundial continuar ameaçando o desempenho da economia global e das projeções para o PIB recuarem este ano, os incentivos fiscais oferecidos pelo governo, como a redução do IPI para manter as vendas de alguns setores produtivos específicos, a carga tributária brasileira não diminui, como atesta mais uma vez o nosso Impostômetro, ao bater R$ 700 bilhões. Portanto, este pode ser o momento para estimular os investimentos em produtividade, como meio de melhorar a competitividade dos nossos produtos e da nossa economia.”

Além dos impostos pagos pelos brasileiros para a União, é possível verificar também os impostos pagos pelos moradores de quase todos os municípios brasileiros. Veja o quanto a população de algumas cidades terá pagado em tributos no mesmo dia em que todos juntos terão pagado R$ 700 bilhões.

São Paulo (Capital): R$ 15 bilhões

Campinas: R$ 1,4 bilhão

São José dos Campos: R$ 969 milhões

Sorocaba: R$ 881 milhões

Santos: R$ 753 milhões

Ribeirão Preto: R$ 730 milhões

Jundiaí: R$ 707 milhões

São José do Rio Preto: R$ 478 milhões

Mogi das Cruzes: R$ 357 milhões

Taubaté: R$ 358 milhões

Bauru: R$ 356 milhões

São Carlos: R$ 276 milhões

Araçatuba: R$ 191 milhões

Itapetininga: R$ 142 milhões

Festa Junina:

Neste mês, festas juninas são comuns em muitos lugares. Doces e danças típicas caipiras e muita alegria é uma característica da época. Mas será que o brasileiro sabe o quanto paga de imposto em cada produto consumido?

Vestido de caipira: 35% de imposto

Chapéu de palha: 34% de imposto

Pinhão: 24% de imposto

Vinho: 55% de imposto

Cachaça: 82% de imposto

Milho verde: 19% de imposto

Lenha: 42% de imposto

Bolo: 35% de imposto

Pé de moleque: 37% de imposto

Canjica: 35% de imposto

Batata doce: 11% de imposto

Fonte: ABAT