Apreensões

Mais uma vez apreensões de drogas e de cigarros superam as marcas de anos anteriores. Até novembro foram apreendidos R$ 2,974 bilhões em mercadorias irregulares.

As ações da Receita Federal no combate ao contrabando, ao descaminho e à pirataria novamente atingiram recordes históricos. No período de janeiro a novembro foram apreendidos R$ 2,974 bilhões em mercadorias, maior resultado da história. Em todo o ano de 2017, o total atingiu R$ 2,301 bilhões.

Para o secretário da Receita Federal, auditor-fiscal Jorge Rachid, “alcançar esses números foi possível graças à dedicação dos profissionais do Órgão, que, utilizando técnicas eficientes de gerenciamento de riscos, cada vez mais direcionam as investigações para pessoas e organizações que apresentam risco de fraudes”.

Segundo Rachid, nos últimos anos a Receita Federal bateu seguidos recordes no combate aos ilícitos, trabalho que protege a economia do País. “Tirar as mercadorias contrabandeadas das ruas protege o emprego dos brasileiros. Além disso, melhora o ambiente de negócios ao impedir a concorrência desleal entre produtos nacionais e os trazidos irregularmente para o território nacional”, explicou.

Cigarros
As apreensões de cigarros também já são recordes históricos. No período de janeiro a novembro a Receita Federal apreendeu 263 milhões de maços, superando o alcançado em todo o ano passado, quando foram apreendidos 222 milhões de maços.

Cocaína
A apreensão de drogas aumentou em 2018. Destaca-se a grande quantidade de cocaína apreendida, principalmente nos portos brasileiros, em trabalhos de rotina da Receita Federal. Nos meses de janeiro a novembro de 2018 foram apreendidas 29,7 toneladas de cocaína. O resultado já supera em muito o recorde anual de 2017, quando foram apreendidas 18,07 toneladas da droga.

Fonte: Receita