INSS sai do Ministério do Desenvolvimento Social e deverá ser abrigado na Secretaria de Previdência, atualmente vinculada ao Ministério da Fazenda

O Instituto Nacional do Seguro Social – INSS, autarquia federal hoje ligada ao Ministério do Desenvolvimento Social, passará para responsabilidade do superministério da Economia, a ser comandando pelo economista Paulo Guedes, conforme já teria decidido o presidente eleito Jair Bolsonaro. A mudança será efetivada logo em janeiro de 2019, no início do novo governo.

A informação foi repassada pelo deputado federal Osmar Terra (MDB) a um grupo de piauienses, no final da semana passada, em Brasília. O governador eleito do Distrito Federal, o piauiense Ibanes Rocha (MDB) foi um dos que conversou com Osmar, futuro ministro da Cidadania no Governo Bolsonaro e ele ralatou sobre a mudança do INSS para o Ministério da Economia.

A confirmação da mudança do INSS do Ministério do Desenvolvimento Social para o Ministério da Economia deverá anunciado pelo futuro ministro Paulo Guedes. Nesta quarta-feira (05.12), pela manhã, a revista a Crusoé, já havia noticiado a mudança, mas a confirmação por fonte do site www.piauihje.com em Brasília se deu no meio da tarde.

O INSS é uma das mais importantes autarquias federais. Atualmente, o órgão é responsável pela concessão e apagamento das aposentadorias mantidas pelo Regime Geral da Previdência Social. Também cuida de outros benefícios, como pensão por morte, auxílio-doença, seguro defeso e também dos benefefios mantidos pela Lei Orgância da Assistência Social – Loas, como o BPC (Benefício de Prestão Continuada).